6 dicas de como escolher uma boa Televisão!

Quantas vezes nos perguntamos qual seria a melhor televisão para comprar? Quando nos questionamos sobre isto, uma série de outras questões se levantam: Qual o tamanho? Qual a resolução? Qual a marca? Qual o tipo de ecrã? Aqui iremos enunciar os critérios mais importantes, de forma a tomar a decisão certa e de consciência tranquila!

6 dicas de como escolher uma televisão
1. Conheça os principais tamanhos de TV

Em primeiro lugar, devemos escolher qual o tamanho que queremos. Regra geral, maior é melhor, no entanto devemos sempre ajustar o tamanho da televisão ao espaço onde a queremos colocar, bem como a distância à qual ficará de nós enquanto espectadores. O tamanho da televisão é medido através da diagonal, desde o canto superior esquerdo do ecrã até ao canto inferior direito, sem incluir a margem. Esta medida é dada normalmente em polegadas ou em centímetros. Todos estes cuidados vão contribuir para uma melhor experiência de visualização, quer seja esta na cozinha, na sala, ou no quarto.

 

Confira neste quadro os respetivos tamanhos:

6 dicas de como escolher televisão
2. Opte pela melhor resolução de imagem


A qualidade da imagem da televisão vai depender da resolução da mesma e, normalmente, quantos mais pixeis tiver, melhor. O mínimo que deverá ter é a resolução FullHD (1080p), no entanto não recomendamos esta resolução para tamanhos acima das 43 polegadas. Caso queira optar por 720p HD, não recomendamos tamanhos acima das 32 polegadas. Caso possa, opte por uma televisão com resolução 4K Ultra-HD, pois contêm mais de 8 milhões de pixeis individuais e, hoje em dia, já se consegue arranjar uma com uma boa relação preço/qualidade. Atualmente as televisões com resolução 8K são notoriamente caras e, por outro lado, existem pouco conteúdos disponíveis em 8K

6 dicas de como escolher uma televisão
3. Tenha atenção à tecnologia e ao tipo de ecrã

Existem dois tipos de ecrãs de televisão no mercado: LCD e OLED. As melhores televisão, normalmente, usam um ecrã OLED, mas caso o orçamento seja menor, a melhor televisão para se comprar terá um ecrã LCD.

 

Costuma haver uma confusão com siglas como TV LED, QLED, entre outros. Mas é fácil de explicar: As TV’s LED usam um painel LCD e uma fonte de luz, os LED’s (light-emitting diodes). Nos modelos de topo, a tecnologia Active Dimming, ilumina diferentes zonas do ecrã individualmente. Ainda existe a abordagem da Samsung com os ecrãs Quantum LED, ou QLED com melhor espectro de cor e melhor brilho face aos outros ecrãs LCD. No entanto, não convém confundir com os ecrãs OLED, pois estes são os melhores do mercado.

 
4. Não descure os recursos da televisão

– Procure saber a taxa de atualização da televisão. Não aconselhamos menos de 120 Hz

 

– No que toca a contraste, não se preocupe pois as televisões LCD/TV LED, QLED ou OLED já têm um bom equilíbrio.

 

– As Smart TV’s são essencialmente computadores e como tal, têm um processador encarregue da gestão da televisão. Preste atenção ao número de núcleos, a frequência de processamento e o ano de introdução.

 

– RAM e Armazenamento: ao processador junta-se a memória RAM que, quanto mais, melhor. Isto tornará a televisão mais rápida quanto mais memória tiver. O mesmo raciocínio aplica-se ao armazenamento interno.

 

– As Smart TVs, sobretudo nos modelos mais caros, têm comandos com microfone integrado, além da própria televisão ter integração com a assistentes virtual da Google, Amazon, ou ambas. Algo que facilita a pesquisa de conteúdos.

 

– Altifalantes: por norma não são muito bons, sendo recomendável a compra de uma sound bar ou sistema surround. De qualquer modo, as televisões trazem sempre um número variável de altifalantes cuja potência é medida em watts (W).

6 dicas de como escolher uma televisão
5. Veja as portas e as conexões essenciais da televisão

Mediante o que quiser ligar à sua televisão, a escolha do melhor modelo passa também pelo número de portas e ligações disponíveis. Fique atento ao número de portas USB e HDMI e se contém as mesmas na lateral da televisão, caso pretenda afixar a mes à parede. Terá pelo menos uma porta Ethernet para ligar o cabo de rede, apesar de as Smart TV também terem, por norma, ligação Wi-Fi à rede de casa. As demais portas como a ótica podem ser úteis, novamente consoante o uso pretendido para a TV.

6. Escolha o sistema operativo ideal para a sua SmartTV, pois ele é crucial

O que distingue uma Smart TV da Samsung da LG, Sony, Xiaomi, HiSense, TCL, Philips, ou outras marcas de TVs é, sobretudo o seu sistema operativo. Atualmente temos três sistema operativos dominantes no mercado.

 

– Android TV: desenvolvido pela Google, destaca-se pela integração do Chromecast que simplifica o espelhamento de qualquer conteúdo do telemóvel para a TV. Além disso, tem acesso à loja de aplicações, a Play Store e Assistente Google. É utilizado por marcas como a Sony, Philips e Xiaomi.

 

– WebOS: Encontrará este sistema operativo nas televisões LG, sendo extremamente rápido e intuitivo nas Smart TV de topo. Destaca-se pela facilidade de navegação, sobretudo com o comando mais avançado, o MagicRemote.

 

– TizenOS: Está presente nas TVs Samsung e consegue ser relativamente rápido até nos televisores baratos. Apresenta-se simples e intuitivo, com atualizações periódicas a ficarem disponíveis sobretudo nas Smart TV de topo.

Partilhe este artigo nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

outros Artigos de interesse

10 Curiosidades sobre o Wi-Fi.
DICAS

10 Curiosidades sobre o Wi-Fi.

  Por trás da história do Wi-Fi, existem algumas curiosidades que podem ser desconhecidas para os utilizadores. Esta tecnologia é utilizada diariamente e revela, cada

Ler mais >